coisas que vejo, que passa, que não exergo, que não percebo

A criança esta ali
sem rejeição, mas que
não me exergo, e não me vejo
eu não lembro.
A algazarra dos meninos, o espanto deles,
fico entusiasmado, mas
 esqueci do menino em mim.
Os rapazes e seus excessos,
os seus jeitos,
eu desvio, eu rejeito,
eu me esqueci que eu era assim.
De repente me vejo pela primeira vez.
Estou ficando velho,
mas eu vejo mais  os outros mais velhos.
Estou numa modificação e agora
com outras sensações.
Agora o caminho mais perto do fim,
os anos velozes , mas o ritmo é intenso.
Se aprende?
Quem quer?
Vivemos essas coisas, essas coisas complexas,
este sentimento do outro, este não pertencimento,
será que somos extraterrestres de nós mesmos?



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

LULA ENVERGONHA O PAÍS - AMIGO DE LULA - ADORA DITADORES - LULA DA LUZ A DITADORES-

QUANDO O OUTRO FALA POR MIM